Em Março, há mais uma boa desculpa para ir aos Açores: o festival Tremor

by Clara Silva, timeout.pt

São mais de 40 concertos em palcos como uma piscina de água quente, um hangar de aviões ou uma loja de camisas. O Tremor vai abalar os Açores entre 20 e 24 de Março.

Em 2016, a Time Out Londres descobria o epicentro dos Açores com um artigo sobre o Tremor em que apontava 10 razões para ir ao festival. Além das baleias e de uma mina de ouro de paisagens para os londrinos partilharem no Instagram, estava o “hip-hop açoriano”, representado ali por Fred Cabral, natural de São Miguel.
Dois anos depois, e com o festival a caminho da sua quinta edição (regressa aSão Miguel entre 20 e 24 de Março), novas razões surgem para comprar um voo e assistir ao festival que promete dar nas vistas dentro e fora do país.
A começar pelo nome, mesmo a calhar em tempos de crise sísmica: Tremor. É verdade que o festival surgiu em 2014 para agitar as placas tectónicas culturais da ilha (primeiro como “um festival de 24 horas de música portuguesa no centro de Ponta Delgada”, recorda António Pedro Lopes, da organização, agora como um “festival internacional de música independente”). Mas não foi esse abalo na ilha que determinou o nome.

nota: noticia retirada da TIMEOUT