Podia ser o título deste documentário na Netflix Portugal, mas na verdade chama-se “Fyre, o festival que nunca aconteceu”.Só mesmo ver para crer.

Em pleno século XXI, na era da informação digital, um homem consegue enganar milhares de pessoas com o “apoio” de celebridades.

Uma ilha paradisíaca, paisagens deslumbrantes, luxo, sol, calor, praia e música… Muita música.Estes eram alguns dos pontos de venda para um grandioso festival de música numa ilha que em tempos pertenceu ao barão da droga, Pablo Escobar.

Através da internet, principalmente de redes sociais, instagramers, youtubers, etc, foi espalhada a palavra para este acontecimento musical épico.

Este documentário espelha bem o efeito “bola de neve”, em que uma ideia que começa pequena, vai tomando proporções gigantescas até ficar fora de controlo.

O elevado preço dos bilhetes para este(s) concerto(s) não foi impeditivo para que estes se vendessem que nem pãezinhos quentes. O preço incluiria acomodações luxuosas entre outros atrativos. O cartaz foi composto por nomes, mais ou menos sonantes, alguns sem estarem confirmados.

Isto encaixa na categoria de “ver para crer”. O principal organizador deste evento, bem podia pertencer a alguma seita, tal não é a lábia dele para promover isto tudo e convencer os outros a alinhar nas suas ideias megalómanas. 

Do início da ideia, passando pelos vários obstáculos até ao desastre final podemos acompanhar tudo o que foi tornado público, bem como o que se realmente passava nos bastidores. E no fim irão perguntar-se… Como foi possível isto acontecer?

A não perder para quem quiser variar da ficção e ver uma realidade que nem os melhores argumentistas poderiam escrever.

RMS