Recentemente descobri uma mini série de… 2014. Mas como diz o ditado, “mais vale tarde que nunca” e realmente valeu bem esta “descoberta”.

Trata-se da mini série de seis episódios, “Ascension”.
Nos anos 60 a Humanidade já previa o declínio do nosso planeta e então é decidido iniciar um projecto ambicioso, no mínimo:

Enviar 600 pessoas numa nave numa viagem de 100 anos até “Proxima Centauri” onde aí se irá dar um novo começo para todos nós, a colonização de um novo planeta, na esperança que as coisas corram melhor do que neste que habitamos agora.

Claro que numa viagem desta envergadura, não é expectável que a tripulação e passageiros originais cheguem todos ao destino vivos e de boa saúde. O sucesso irá depender dos (futuros) netos dos que partiram agora.

Para que isso suceda, a nave tem uma série de regras rígidas sobre (entre outras coisas) quais e quantas mulheres podem engravidar, pois além de se pretender que a geração futura seja composta pelos melhores, há que tem em conta os suprimentos que a nave tem ao seu dispor. O número total de viajantes tem de ser constante, daí haver uma vigilância apertada.

Como seria de esperar, a tecnologia da nave não é da mais recente, comparativamente ao que temos hoje disponível, mas isso não os impede de desenvolver a sua própria tecnologia.:

Nenhuma pessoa desta viagem espacial está a par dos desenvolvimentos sociais e tecnológicos da Terra: Não conhecem como evoluíram determinados comportamentos, desconhecem certas personalidades que para nós são bem conhecidas. Desenvolvem portanto os seus próprios comportamentos com base na humanidade dos anos 60.

Apesar de haver uma (aparente) harmonia entre todos a verdade é que a tragédia acontece em todo o lado. E aqui não é excepção… A meio desta viagem, e quando estão num ponto de não retorno, uma jovem aparece morta e suspeita-se que não tenha sido acidente. Mas porquê? E quem terá sido responsável? Suspeitos não faltam.

Embora a aventura tenha-se iniciado há muitos anos, nós espectadores começamos a acompanhar todos estes acontecimentos já no tempo Presente, tanto na nave como na Terra, pois a missão é acompanhada no nosso planeta por uma organização governamental que espera 100% de sucesso, a qualquer custo.

Uma história cativante repleta de reviravoltas que irão certamente surpreender. Infelizmente a série, que começou no canal “SyFy” e mais tarde foi adquirida pela “Netflix”, acabou no sexto episódio da primeira temporada. Mas mesmo em 2019 existem petições para a trazer de volta, por isso nunca se sabe… poderemos um dia acompanhar mais pormenores desta deslocação interplanetária.

Não deixem que este pormenor os desmotive de ver esta excelente mini série.

Embarquem nesta aventura.

RMS