Amazónia.

Certamente este é um daqueles textos que, de facto, não terá muito interesse em ler, principalmente a partir do segundo paragrafo, mas que vou escrever na mesma.

Assim, a Amazónia não é um problema político. Sim, nem é um problema do Capitalismo. A Amazónia é um problema Humano.

Primeiro não vou entrar em discussões políticas, apenas farei no final uma reflexão individual, a par de outras. Segundo, quando digo que não é um problema do Capitalismo, digo-o porque o Capitalismo é uma filosofia inventada pelos homens e recordo que a maioria vive na base do capitalismo. Certamente é hora de deixarmos de criticar ou abraçar as filosofias conforme nos convém…sei lá, digo eu e pode nem ser dos nervos.

Mas, a Amazónia. Um problema Humano. 

Neste momento voltou-se a falar imenso da Amazónia e da sua desflorestação e de ser dos principais pulmões da Terra, etc.…porque está na moda. A preocupação da Amazónia é das redes sociais, dos posts de imensa preocupação, com partilhas de vídeos de fazer chorar, frases iradas pelo ódio, fotografias repletas de lágrimas sem lágrima. Mas recordo que a Amazónia e todos os seus problemas, estão lá faz décadas… É moda e é um principio criado na era que vivemos. Seja o assunto a politica, o desporto, a vida dos outros ou mesmo…o ambiente, o Planeta, a preservação. O principal problema humano é uma questão de falta de consciência. 

Falta a consciência de perceber que a Vida, o Planeta, a Natureza permite-nos viver, ser parte integrante de um Ambiente equilibrado, onde somos parte de e não donos de. Assim atribui-nos o direito de fazermos parte desta maravilhosa experiência que é viver. A seguir vem o Dever, que é Humano. Os humanos assim como todos os seres vivos e inanimados, tem o Dever de cumprir com a sua parte no equilíbrio e na construção do ambiente do Planeta. Mas…como humanos do século XXI, o Dever é apenas mais uma das palavras e dos valores que mais foi enterrado e até já os seus “ossos” comeram. 

Logo, onde tem andado o Dever dos Homens para com todo o Planeta, para com as florestas, os animais, os seres vivos, o ambiente em geral?…. Podemos falar e preocupar-nos com a Amazónia, mas não podemos apontar o dedo aos outros por este problema, porque a desflorestação da Amazónia é resultado da Acão de todos. E como? Por causa das Amazónias deste Planeta. 

O que existe na Amazónia de tão especial? A área? Se juntarmos várias áreas completamente dizimadas pelos vários continentes, juntos formam uma área superior ao que está a ser destruída.

A biodiversidade? Se analisarmos o que já foi extinto nos vários continentes, o que deixou de viver, o que ficou completamente sem recuperação, falamos de uma biodiversidade única e irrecuperável.

Sabem que só a China já contruiu em betão, mais do que a área destruída na Amazónia? (Cidades, estradas, pontes, etc.)  

Afinal, no meio disto tudo e muito mais, o nosso quintal ardido, é também a nossa Amazónia! O Pulmão da Terra é apenas um dos exemplos do que precisamos de preocupar… Quanto mais destruímos, mais necessidades temos, direta ou indiretamente em destruir…porque criámos a necessidade Humana de ter o poder de, ser uma espécie de donos de… E como português dou um exemplo muito simples…O Pinhal de Leiria. Mandado plantar para travar a erosão dos solos, e sim, também para madeira para as Naus portuguesas… foi recentemente destruído por um incendio que quase o dizimou na integra. É assustador passar nas estradas que o atravessam e ver apenas dunas, areia, erosão. E toda a vida que lá existia padeceu nas chamas…um dos principais pulmões de Portugal, praticamente, não existe…mas já foi esquecido. Assim como todo o lixo que nele vivia, criado pelos homens…ou o ato do fogo em si, a falta de proteção, de cuidado…pelos homens.

Neste Pinhal foram tantas as árvores que abracei (sim, eu abraço árvores)…havia tantas cheias de energia, de vida, que nos davam sombras, frutos, que nos enriqueciam os dias, e acima de tudo, que nos davam oxigénio…e abraçar uma árvore é um ato de gratidão para com um dos “Seres Vivos” mais resilientes e mais resistentes deste Planeta, é um ato de Amor para com a Vida em si. Elas falam tanto, gritam, choram em silencio, sofrem, riem e acima de tudo, elas são verdadeiros exemplos de altruísmo, pois dão-nos tanto e não nos pedem nada…assim como todos os seres vivos que habitam nelas ou junto a elas, ou mesmo delas dependem…e o Homem, com a sua falta de Dever para com a Vida e o Planeta, tudo vai destruindo…

E vai destruindo irresponsavelmente…porque o Homem não quer ser responsável pelo Dever que tem…a responsabilidade não é nem pode ser, em primeiro lugar, coletiva. A responsabilidade tem de ser individual. Cada um tem de perceber o que quer para o ambiente que o envolve, que Planeta quer para si e quer deixar aos outros. A responsabilidade individual tem de ser, obrigatoriamente, um princípio básico de educação e formação. Porque só assim se consegue construir uma consciência individual. E cada consciência dará o seu contributo para uma realidade global, de forma responsável. Se houver algum crime ao ambiente, esse crime terá um nome uma face, terá uma consciência. Esta é a forma como podemos proteger, de facto, o ambiente.

E a Amazónia, como todas as outras, são responsabilidade de cada um. Cada um de nós, direta ou indiretamente, tem a responsabilidade do que contribuiu para o seu meio ambiente. 

A principal raiz de todo o problema ambiental é de formação e educação, responsável e consciente…que trarão como resultado a prevenção, responsável e consciente…o que tivemos até hoje, na maioria dos países, foi uma ação em resposta aos problemas, foi uma ação de intervenção…mas a intervenção é mais um ato, silencioso, de não querer encarar um problema, do que propriamente o resolver. E como tal, o problema nunca desparece… 

Quando eu não reciclo ou não separo, sou responsável de um futuro, de um legado, do que deixo e do que partilho como educação ou formação…sou responsável pelo oxigénio que respiro e da sua qualidade…porque não preservo…e quando eu não reciclo ou não separo, ou quando deito o lixo janela fora, sou responsável individualmente, por todas as consequências que virão dai, direta ou indiretamente…exemplo disso, que responsabilidade tiveram cada pessoa que sujou o Pinhal de Leiria e sobre a forma como esse lixo ajudou à propagação do fogo? 

Quando falo de responsabilidades individuais, mais do que qualquer ação judicial, falo da responsabilidade consciente que cada um tem para consigo próprio e para com o ambiente onde habita. 

O pior dos “tribunais” humanos é a sua própria consciência, individual. Quanto mais vazia ou quanto mais conspurcada de irresponsabilidade, mais dor e sofrimento virá ao mundo. 

A amazónia, ou as amazónias, não são na sua génese, um problema exclusivo de um qualquer assunto…não um problema exclusivo do que se come, das opções de vida, de pensamentos socioeconómicos e de uma qualquer filosofia política ou mesmo de uma qualquer etnia… As amazónias mundiais são um problema global e da responsabilidade de todos os seres vivos e inanimados…mas se todos os outros seres vivos cumprem as suas tarefas, porque é que apenas o Homem não cumpre os seus deveres e assume as suas responsabilidades, individualmente para que exista uma verdadeira responsabilidade coletiva?…

Assim é e assim será o problema Humano…

Logo, falando agora de mim, tenho de saber responder a mim próprio às seguintes questões,

Quais são os meus Deveres para com a Vida?

Que Planeta e que Meio Ambiente, de facto quero defender?

Se me foi atribuído o livre-arbítrio, será que assumo a responsabilidade total das minhas escolhas e assumo as consequências das mesmas, responsavelmente e conscientemente?

Se os políticos são escolhidos para me representarem, que responsabilidade tenho eu assumido, individualmente e conscientemente, para com as escolhas que tenho feito?

Que Planeta quero eu, individualmente e responsavelmente, ajudar a construir?

Que educação e formação quero participar, por forma a de facto, ter uma atitude responsável e consciente, para com tudo o que me rodeia?

Afinal, a minha Responsabilidade Individual e Consciente, assumir dos meus Deveres para com a Vida, é RESPEITAR A VIDA!!! 

Será que o Planeta precisa mais:

de uma consciência com Acão individual e responsável, que protege prevenindo, antecipando, e assim alimenta os valores de maior propósito a Toda a Existência? 

ou de práticas coletivas, com uma suposta consciência coletiva, mas dominada por uma filosofia imposta e coletivista, que age em resposta a uma ação apenas e que serve de alimento ao aparecimento de extremismos irracionais?

Eu Assumo. Tenho o Dever, individual, de Defender este Planeta, Prevenindo,

                     Tenho a Liberdade, individual, de fazer as minhas escolhas neste Planeta,

                     Tenho a responsabilidade, individual, de assumir as consequências das minhas escolhas neste Planeta..

Dedicado a Todos os Pulmões deste Lindo Planeta!