Pois é, não sabiam? A Terra, o nosso planeta, é plana e não em forma de esfera como nos tem sido dado a entender pelos supostos cientistas e livros de escola.

Acreditem ou não, em pleno século XXI, na América (where else ?) existe um grupo de pessoas, auto apelidadas de “terraplanistas” que fazem parte da “Flat Earth Society” (Sociedade da Terra Plana, em tradução livre).

Diz este grupo de iluminados que andamos a ser enganados (até rimou) pela NASA, que na verdade são apenas agentes secretos do Governo para nos vender essa ilusão.

Fotos tiradas no Espaço? É tudo mentira num qualquer estúdio de Hollywood (que na verdade também são agentes governamentais).Nem o agente Fox Mulder, da série “Ficheiros Secretos” conseguiria inventar uma teoria da conspiração melhor que esta.

No documentário da Netflix, “Behind the curve”, ficamos a conhecer vários “génios” que partilham todos esta opinião.Ideal para uma boa dose de gargalhadas à qual podemos acrescentar outra de espanto e pena, esta “sociedade” explica a sua própria teoria (e verdade) segundo a qual, nós todos vivemos num disco que nas bordas tem uma gigantesca parede de gelo, protegido por uma cúpula.

Para quem tiver dificuldade em visualizar este conceito, eles têm modelos 3D para “ver para crer”.

O Sol e a Lua giram neste sistema, separados 180 graus um do outro. Por isso no lado onde está o Sol é de dia, e do outro é de noite, Esqueci-me de referir… a Terra não gira, senão sentiríamos toda essa aceleração.

Pois vejam bem… Se estamos num globo, porque é que a água do mar não cai?? Gravidade? Isso não existe. Não se esqueçam que vivemos num disco.

Se julgam que não poderia haver mais diversão, calma que ainda há mais.Estas pessoas não se ficam pela teoria. E através de experiências cientificas pretendem demonstrar que estão certos.

Apesar dos previsíveis resultados demonstrarem que tudo o que acreditam é mentira, eles tentam mesmo assim arranjar explicações para tentar adaptar isso à sua realidade e “provarem” que apesar da conclusão não ser o que pretendias, há motivos para isso acontecer.

É mesmo “ver para crer”, como em 2019 ainda existem pessoas que vivem na idade média.

Um bom documentário que nos entretém e surpreende.

Eles existem.

RMS